O crescente impacto das novas tecnologias vem propiciando um alto nível de desenvolvimento social, possibilitando comportamento e conceitos inovadores. Conforme evidencia, De Masi (2000, p. 241):

Com respeito à sociedade industrial, a pós-industrial privilegia a produção de ideias, o que por sua vez exige um corpo quieto e uma mente irrequieta. Exige aquilo que eu chamo de “ócio criativo. As máquinas trabalharão num ritmo sempre mais acelerado, mas os seres humanos terão sempre mais tempo para refletir e para idear.

Essa nova realidade, torna os indivíduos muito mais ativos e imaginativos, e principalmente, encorajados a compartilhar suas ideias e experiências em um universo de colaboração. “Estes mundos funcionam, então, como verdadeiros relatos que ajudam os indivíduos a dar um sentido a sua experiência e a orientar suas escolhas e ações”. (Semprini, 2006, p. 68).

O ser humano a partir do momento em que não precisa se preocupar com a sobrevivência, passa a pensar em desenvolvimento, neste sentido, investe em desenvolvimento pessoal e muda a percepção do mundo. Segundo Kotler, Kartajaya e Setiawan (2010) e Kotler, Kartajaya e Setiawan (2010) este processo cria a sociedade criativa, onde o indivíduo é consciente do seu papel coletivo, disposto a resolver as mazelas do mundo.

Na sociedade criativa os indivíduos criam e usam novas tecnologias e conceitos, influenciando a sociedade de um modo geral e procuram moldar o mundo, valorizando a auto-realização, como afirma Kotler, Kartajaya e Setiawan (2010, p. 20):

Uma das principais características das sociedades avançadas e criativas é o fato de as pessoas acreditarem na auto-realização, além das necessidade básicas. São cocriadores expressivos e colaboradores. Como seres humanos complexos, acreditam no espírito humano e estão atentos aos seu desejos mais profundos.

O conceito de espiritualidade definido por Kotler (2010) está ligado à valorização dos aspectos não materiais, ou seja relacionado à auto-realização. Isso demostra que a sociedade não está buscando nos produtos apenas a satisfação básica, as pessoas buscam experiências e negócios que promovam a auto-realização.

Em suma, o atual marketing é influenciado pelas mudanças no comportamento do consumidor, empoderado pelos efeitos da participação, da globalização e da sociedade criativa o que exige abordagens de marketing mais colaborativas, culturais e espirituais.

Anúncios